quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

NOTICIAS

Embalado por Chicharito, Leverkusen recebe Barça de "dupla MS" por vaga

Também com seu "sangue latino", alemães precisam pontuar mais que Roma para avançar. Neymar é desfalque em jogo com transmissão ao vivo do GloboEsporte.com

Por Leverkusen, Alemanha
Chicharito Bayer Leverkusen (Foto: Reuters)Chicharito em treino do Bayer Leverkusen na terça: vida ou morte na Champions (Foto: Reuters)
O Bayer Leverkusen sabe que sua tarefa é delicada: precisa pontuar mais que o Roma na rodada final do Grupo E da Liga dos Campeões para se classificar. Isso significa que não poderá ser derrotado pelo Barcelona, nem que os italianos possam vencer o BATE Borisov no Estádio Olímpico. O GloboEsporte.com acompanha a rodada final em Tempo Real e transmite o jogão na Alemanha ao vivo, a partir das 17h (de Brasília), com narração de Daniel Cardoso e comentários de Eric Faria e Victor Canedo.

Mas o Bayer Leverkusen também sabe que pode ser otimista. A notícia da ausência de Neymar, lesionado no treino da véspera, aumenta as chances de uma classificação, já que o brasileiro vem sendo um fator determinante para o Barça ao lado de Messi e Suárez – o trio será a dupla “MS” por alguns dias. Mais: Chicharito Hernández e sua boa fase (até que se prove o contrário) estarão em campo.
Neymar Messi Suárez Barcelona (Foto: Reuters)Neymar, Messi e Suárez se divertem antes da lesão do brasileiro: Barcelona com dupla em vez de trio (Foto: Reuters)


O mexicano leva aos alemães o sangue latino que corre nas veias do ataque catalão. São 13 gols em 18 jogos na temporada, numa transação que inicialmente não teria tamanho cartaz, vide a passagem apagada pelo Real Madrid e a facilidade com que o Manchester United negociou o seu ex-centroavante titular. Mas Chicharito ergueu-se e ajudou o Rubro-Negro a sonhar com um retorno ao mata-mata da Champions.

Quando ficou sabendo que daria entrevista ao GloboEsporte.com, Chicharito brincou: “Vou ficar conhecido no Brasil”. Com muito bom humor e sorriso no rosto, o mexicano de 27 anos revelou, dentre outras coisas, sua paixão pelo “país do samba”. 

Descoberto pelo Chivas Guadalajara nas categorias de base, o atacante seguiu rumo à Europa e foi parar no Manchester United, onde ficou cinco temporadas e depois foi emprestado ao Real Madrid. Sem muitas oportunidades na Espanha, Chicharito assinou contrato com o Bayer Leverkusen e chegou ao clube alemåo em definitivo, numa transação de R$ 48 milhoes. E aí veio a volta por cima. 
Chicharito Bayer Leverkusen (Foto: AP)Chicharito tem 13 gols em 18 jogos no novo clube (Foto: AP)
Frequentemente convocado para a seleção mexicana, Chicharito não descartou nem mesmo atuar no futebol brasileiro num futuro não muito distante – ele esteve próximo de se transferir para a Major League Soccer, como o compatriota Giovani dos Santos.

- Por que não? Nunca se sabe do futuro. O Brasil é um país muito bonito e com uma liga muito conhecida. Não posso fechar portas. 

Fã de samba, o atacante cita o Santos como um dos clubes mais importantes - os mexicanos fizeram na cidade litorânea de São Paulo a preparação para a Copa em 2014 -, elege o melhor jogador que já viu em toda a sua carreira e se defende das críticas do período em que atuou no Real Madrid:

- Não há nada negativo em jogar no Real Madrid. Está no meu currículo que joguei lá um ano. No início tive poucas oportunidades mas depois vieram muitas. Muitos me criticaram, disseram que eu não jogava porque não trabalhava, porque não era profissional. Mas no final eu mostrei que o problema era falta de oportunidade.


Confira a entrevista completa abaixo:

Você foi descoberto pelo Chivas Guadalajara quando ainda estava nas categorias de base. Esse clube diz ter a maior torcida do mundo. É verdade?

É verdade. Essa é a equipe de maior tradição do país, é o time do povo mexicano. Teve uma época que em que tinha muito essa discussão, de qual torcida era maior, do Chivas ou do Flamengo, mas os números eu não sei. Só sei que eles são muito grandes mesmo. 

Conhece o futebol brasileiro?

Sim. Já participei da Libertadores e da Copa Sul-Americana, pelo Chivas. Já joguei contra o Internacional, Santos e Atlético-PR. É uma liga muito conhecida pelo povo mexicano.

Gostaria de jogar no Brasil? 

Por que não? Nunca se sabe do futuro. Já me perguntaram se queria voltar a jogar no México e eu disse isso também. Mas o Brasil é um país muito bonito, que eu gosto muito. México e Brasil são dois países que se dão muito bem. O Brasil ganhou uma Copa do Mundo no México (1970) e isso é muito especial. Então não posso fechar as portas a nenhum lado, a nenhum país, nunca se sabe do futuro.

Qual o clube brasileiro mais importante para você?

Para mim o Santos é um clube muito especial porque fizemos a preparação para a Copa do Mundo na cidade de Santos. Todos nos trataram muito bem. E aí se tornou mais especial ainda porque o Pelé foi desse clube, assim como Robinho e Neymar. Também devem ter saído outros grandes jogadores. Mas o Brasil tem vários outros grandes clubes que sempre disputam muito bem a Libertadores, chegando em semifinais e finais. É um extraordinário país da América do Sul para se jogar.
chicharito hernandez twitter santos (Foto: Reprodução / Instagram)Recado para Santos durante a preparação para a Copa do Mundo (Foto: Reprodução / Instagram)


Qual o jogador brasileiro você é fã?

Para a mim, em toda a história foi Ronaldo Nazário, o Fenômeno. Ele foi o meu ídolo desde pequeno, ídolo máximo. Para mim está à frente dos outros. O melhor jogador que já vi. Eu lembro muito bem da Copa de 1998 e para mim ele é o melhor centroavante, melhor número 9 do mundo.

O que achou da passagem do Ronaldinho Gaúcho pelo México? Que legado ele deixou para o país?
Eu não sei porque não estava vivendo esse período lá, mas o pouco que eu escutei foram coisas positivas dele. E ele também deve estar agradecido por sua passagem pelo México. Teve uma extraordinária homenagem para ele no Estádio Azteca, ele fez dois gols e foi aplaudido por todo o estádio. Acredito que todo lugar que Ronaldinho passa deixa sempre algo positivo, por todo talento e carisma que tem. É uma pessoa que te dá prazer em ver jogar e falar também, está sempre sorrindo. Ele chegou na final do Mexicano com o Querétaro, que nem é tão grande assim. Tenho certeza que ele foi peça fundamental disso.
Gostaria de levar o Neymar ao México para que todo o povo mexicano pudesse desfrutar desse futebol 
Chicharito
Se você pudesse escolher, qual craque levaria para o México?

Neymar. Gostaria de levá-lo para que todo o povo mexicano pudesse desfrutar desse futebol.

Por que o México é sempre uma dificuldade para o Brasil? Acha que o Brasil teme o México?

São coisas que acontecem. Se fala muito em estatísticas, sobre o passado, em que o México complicava a vida do Brasil. O México ganhou do Brasil nas Olimpíadas de Londres. Mas não sei por que. O Brasil tem sempre as melhores seleções do mundo, mas o México, por outro lado, vem sempre motivado, querendo dar um passo à frente. Mas pode ser simplesmente coincidência.

Quais foram as primeiras impressões do técnico Osório na seleção mexicana?

Fiquei só seis dias trabalhando com ele. Preciso de mais tempo para poder avaliar. Uma semana é pouco. Não sei se vou ser chamado nas próximas convocações, tenho que fazer boas partidas pelo clube para poder ir para a seleção. Mas é um treinador que todos falam bem. O Wendell e o André Ramalho (brasileiros que jogam no Bayer Leverkusen), escutaram de amigos no São Paulo que o trabalho dele era bom. Ele está a duas partidas no comando e tem duas vitórias. Começou com o pé direito.
Chicharito Hernández México (Foto: Getty Images)Chicharito ainda não avalia trabalho de Osório no México, mas "ouviu falar muito bem" (Foto: Getty Images)


A sua ida para o Real Madrid foi um erro? Você se arrepende?

Claro que não. Não há nada negativo em jogar no Real Madrid. Está no meu currículo que joguei lá um ano. No início tive poucas oportunidades mas depois vieram muitas. Muitos me criticaram, disseram que eu não jogava porque não trabalhava, porque não era profissional. Mas no final eu mostrei que o problema era falta de oportunidade. Nos últimos quatro meses participei mais e me saí muito bem. Ganhei o Mundial de Clubes no Marrocos e isso foi um sonho, desfrutei muito. A falta de oportunidade não dependia de mim.

Tinha algum problema interno no clube? Você se dava bem com o Cristiano Ronaldo?

O ambiente era bom. Meus companheiros me ajudaram muito. Alguns como o Sérgio Ramos e Pepe foram foram muito importantes, me apoiaram muito. São jogadores que tenho um carinho muito especial. Eles pediam para eu ter uma maior participação. Não tive nenhum problema com o Cristiano Ronaldo.

Qual a diferença entre o futebol inglês, espanhol e alemão?

Cada liga faz o melhor que pode para ser a melhor do mundo. Não gosto de comparações, mas a liga alemã parece mais com a inglesa do que a espanhola. Estou feliz porque pude estar na liga inglesa, espanhola e agora na alemã, neste clube que me abriu as portas e me fez sentir totalmente confiante e importante. Quero devolver essa confiança a eles.

Quem leva a Bola de Ouro? Messi, Cristiano Ronaldo ou Neymar?


Juro que não sei. Os três estão ali porque merecem. O ano do Messi foi impressionante, mas prefiro não apostar. Podemos ter surpresas. São jogadores muito distintos, que marcam muitos gols, dão muitas assistências, que conquistam muitos títulos. Se os três fossem parecidos eu até poderia fazer uma escolha.
Chicharito Hernández Real Madrid (Foto: Getty Images)No Real, mexicano foi herói da classificação contra o Atlético de Madrid nas quartas de final da Champions (Foto: Getty)


Você teme o Barcelona?

Só posso dizer que vai ser um jogo muito importante, pois queremos muito passar para a próxima fase da Champions.

Como você vê o time do Bayer Leverkusen? O clima é bom? Você está feliz?

É uma grande equipe. Gosto de jogar com todos. A equipe é muito forte mas com muita vontade de crescer e de ganhar, Todos estão me ajudando muito, dentro e fora de campo. Tem um clima excelente, apesar de eu não falar o idioma. Tem os brasileiros Wendell, Ramalho e o Giga (preparador físico), tem o Giulio Donati, italiano. E todos falam inglês, então é fácil trabalhar aqui.

Seu nome é Javier Hernandez. Porque te chamam de Chicharito?

Por causa do meu pai. Quando ele nasceu meu tio olhou para os olhos verdes dele e disse: parecem ervilhas. (Chicharo em espanhol significa ervilha). Meu pai também era jogador. E aí quando eu comecei a jogar nas categoria de base do Chivas, começaram a me chamar de Chicharito (pequena ervilha).  

0 comentários:

Postar um comentário