terça-feira, 15 de dezembro de 2015

NOTICIAS

Inseguro, Talisca quer dar volta por cima por espaço no Benfica e Seleção

Jogador diz que troca de treinador não influenciou na sua queda de rendimento e que Benfica não priorizará a Liga dos Campeões ao Campeonato Português

Por Lisboa
Talisca comemora gol Benfica (Foto: Agência AFP )Talisca comemora gol pelo Benfica (Foto: Agência AFP )
Revelação, sensação europeia e agora um jogador em busca de espaço. Anderson Talisca viveu altos e baixos em apenas dois anos. Grande nome do Bahia em 2014, Talisca foi vendido ao Benfica no mesmo ano por por € 4 milhões (R$ 12,04 milhões na cotação do dia) e se tornou uma das principais peças do time ainda na temporada 2014/15. 
Na atual temporada, a esperança de participar desde o início com a equipe portuguesa  e dar sequência a boa fase era grande, mas não foi o que aconteceu. Apenas um gol foi marcado e a visita ao banco de reservas se tornou algo rotineiro para o jogador.
Colocando em números, podemos ver as mudanças. Os 44 jogos disputados na temporada passada, deram lugar aos 13 desta. Assim como os gols marcados: de 11 para apenas um. (Confira a tabela abaixo)

- É um momento que todo jogador passa. Insegurança, falta de confiança, mas estou trabalhando firme. Estava jogando na Liga dos Campeões e depois saí, como aconteceu no Campeonato Português. Há um rodízio de jogadores no elenco e se a gente fica sem jogar, não marcamos gol. É a falta de continuidade de jogos que tem feito isso - explicou. 
Números comparativos das duas temporadas de Talisca pelo Benfica (Foto: Reprodução )Números comparativos das duas temporadas de Talisca pelo Benfica (Foto: Reprodução )






A melhor época vivida por Talisca no Benfica foi com o ex-técnico da equipe, Jorge Jesus - que trocou o Encarnado pelo Sporting na última janela. O mesmo não acontece com Rui Vitória. O jogador, porém, afirma que não há qualquer problema com o atual comandante.

- São treinadores diferentes. Com o Jesus, eu realmente jogava mais, agora não estou jogando muito. Procuro não pensar nisso, só jogar. Não tem nenhuma desavença com o Rui Vitória, longe disso - frisou. 
São apenas 21 anos de idade e uma carreira pela frente, mais quatro temporadas assinadas com o Glorioso e a vontade de reencontrar o seu bom futebol para dar a volta por cima. Talisca esteve presente nos dois últimos jogos da equipe na Liga dos Campeões, onde a equipe já está classificada para a próxima fase. No Campeonato Português, o Benfica aparece em terceiro na tabela. Campeão nacional na temporada passada, o jogador diz que não há prioridade por uma competição.

- É o que está acontecendo aí. A vida tem dessas coisas. É como foi no ano passado, a gente não classificou na Champions, mas fomos campeões no Campeonato Português. Esse ano, as coisas estão diferentes. Não demos prioridade a uma competição, é coisa de momento.
Anderson Talisca e Jonas comemoram gol Benfica (Foto: REUTERS/Hugo Correia)Anderson Talisca e Jonas: brasileiros comemorando gol do Benfica (Foto: REUTERS/Hugo Correia)

Confira os outros pontos da entrevista: 
Ausência na Seleção Olímpica e disputa das Olimpíadas

- Eu estou trabalhando. Não estou sem jogar. Para estar na seleção, tem que jogar. Não estou sendo convocado, o que posso fazer? Trabalhar mais. Quem acompanha a seleção olímpica, sabe do meu potencial, sabe como eu jogo. Escuto alguns comentários das pessoas que dizem que não estou jogando no meu clube. Está tendo um rodízio de jogadores aqui. Algumas saídas por lesões também. Só me resta trabalhar, mais nada. Não preciso mandar nenhum recado para o Dunga, eu vou chegar lá pelo meu próprio mérito. 

Atual momento do Bahia


- É um momento muito difícil para o torcedor baiano. O clube estava bem, do nada, deu uma caída e isso prejudicou o acesso e a volta à elite. É o momento de levantar a cabeça, é um clube grande. É como se fosse um Corinthians na série A. É um clube de massa, de muita torcida.
Pretendo voltar para o Bahia. Eu dei um 'até breve', não um 'adeus'.
Talisca
 Volta ao Tricolor de Aço

- Pretendo voltar para o Bahia. Eu dei um "até breve", não um "adeus". Só saí para realizar o sonho de todo jogador que é jogar na Europa. Saí de lá sem briga, sem mágoa. Saí pela porta da frente e vou voltar, não agora. Talvez para encerrar a carreira, mas eu vou voltar. 

Terrorismo na Europa e medo de ataques em Portugal

-  É muito triste saber que está acontecendo essas coisas na França e em outros países. É muito complicado, pois o povo não pode sair para se divertir, ir a restaurantes, pois até lá tem ataque de bomba. A melhor solução é ficar em casa. Sair do trabalho para casa. Eu, que estou em Portugal, fico com medo que aconteça algo. Como dizem que eles gostam de atacar lugares com grande concentração de pessoas e históricos ,e como aqui é um lugar histórico. 
*Estagiário, sob supervisão de Lucas Loos

0 comentários:

Postar um comentário