quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

SURF

Há dez anos na briga, Mineirinho diz que chegou sua hora de ser campeão

Apontado como candidato ao título desde que entrou na elite em 2006, Adriano tenta aproveitar melhor chance da vida em Pipeline: "Eu me sinto muito bem e estou pronto"

Por Direto de Oahu, Havaí
Em sua décima temporada na elite do surfe, Adriano de Souza, o Mineirinho, foi apontado até o surgimento de Gabriel Medina como o surfista com mais chance de ser o primeiro brasileiro a ser campeão mundial. Isso se dava porque, aos 18 anos, em 2005, ele já tinha sido campeão mundial júnior e campeão do WQS, a divisão de acesso ao Circuito Mundial. De lá pra cá, o paulista conseguiu fechar três temporadas em quinto do ranking (2009, 2011 e 2012) e outras três no top 10. Mas aí Gabriel levantou o caneco no ano passado, e Adriano perdeu a oportunidade de consumar o seu sonho de entrar para a história com o feito no Brasil. Quando parecia que ele iria desanimar, o paulista de 28 anos conseguiu elevar o seu nível, liderou o ranking mundial por três meses e chega pela primeira vez na carreira com chance de ser campeão mundial no Havaí. Um feito que ele não cansa de celebrar, mas que o fez ter ainda mais disciplina para enfim consolidar o sonho de ser o coroado o melhor surfista do planeta. 
- Não poderia ser um ano melhor para mim. Eu me sinto muito bem e estou pronto para ser campeão mundial. Ao longo desses anos, Deus fez uma história muito boa para mim. Eu pude aprender bastante e evoluir muito em diversos aspectos. Estou mais do que preparado e espero que as coisas possam acontecer ao meu favor. Durante todos esses anos, eu assisti aos campeões na praia gritando e chorando, então ficava pensando em um dia estar vivendo isso também - comentou Mineirinho.
Adriano de Souza Mineirinho Pipeline surfe (Foto: Divulgação/WSL)Adriano de Souza participa de entrevista em Pipeline ao lado do troféu de campeão mundial (Foto: Divulgação/WSL)
Assim como Mick Fanning e Filipe Toledo, Mineirinho só depende de si para levantar o caneco na etapa cuja janela de realização foi aberta na terça-feira e vai até o dia 20. Nesta quarta-feira, às 16h (de Brasília), será realizada uma chamada para tentativa de realização da triagem. O fato de estar em terceiro lugar no ranking faz com que Adriano jogue a pressão para cima dos seus dois maiores rivais na briga pelo título.
- Estou bem disposto, vivo meu dia a dia naturalmente e não tento colocar pressão. Nunca na minha vida, eu funcionei com pressão. A pressão está em cima dos dois melhores no ranking. Eles sim estão com a bagagem mais pesada do que a minha.
Adriano de Souza Mineirinho treino Pipeline surfe (Foto: Marcio Fernandes/Estadão)Adriano executa manobra após sair de tubo durante treino na quarta-feira, em Pipeline (Foto: Marcio Fernandes/Estadão) 
Teoricamente, nenhum dos principais postulantes ao título tem mais motivos para estar ansioso do que Mineirinho. Mick luta pelo tetracampeonato do mundo, Filipinho tem apenas 20 anos e um enorme futuro pela frente, e Gabriel acabou de ser campeão. 
Adriano de Souza Mineirinho treino em Pipeline (Foto: David Abramvezt)Adriano observa o mar após treino nas ondas de Pipeline (Foto: David Abramvezt)
- Estou ansioso em fazer o meu melhor aqui para conseguir meu primeiro título mundial. Eu sei que vai ser difícil e muito competitivo, com um tricampeão mundial, o Gabriel, campeão do ano passado, o Julian (Wilson) ganhador do Pipe Masters e o Filipe também em ótima fase.
Para tentar ficar mais tranquilo e focado apenas no que vai fazer dentro do mar, Adriano tem feito um trabalho intenso de relaxamento e de preparação mental com o treinador Leandro Dora, o Grilo, que o acompanha desde julho, antes da etapa de Jeffreys Bay, na África do Sul.
- O Grilo é importante para mim em diversos aspectos, tanto emocional, quanto profissional. Ele virou um grande amigo e a opinião dele ganhou muita importância. Ter ele como treinador tem me ajudado muito a relaxar - contou Adriano, que está escalado para a bateria 4 da primeira fase, contra o taitiano Michel Bourez e um convidado.
BATERIAS DA 1ª FASE
1. Italo Ferreira (BRA) X Adrian Buchan (AUS) X Glenn Hall (IRL)
2. Owen Wright (AUS)X Jadson André (BRA) X Dusty Payne (HAV)
3. Gabriel Medina (BRA) X Keanu Asing (HAV) X a definir
4. Adriano de Souza (BRA) X Michel Bourez (TAI) X a definir
5. Filipe Toledo (BRA) X Kolohe Andino (EUA) X a definir
6. Mick Fanning (AUS) X Sebastian Zietz (HAV) X definir
7. Julian Wilson (AUS) X Kai Otton (AUS) X Ricardo Christie (NZL)
8. Jeremy Flores (FRA) X Matt Wilkinson (AUS) X Jordy Smith (AFS)
9. Kelly Slater (EUA) X Taj Burrow (AUS) X CJ Hobgood (EUA)
10. Nat Young (EUA) X John John Florence (HAV) X Brett Simpson (EUA)
11. Bede Durbidge (AUS) X Wiggolly Dantas (BRA) X Adam Melling (AUS)
12. Josh Kerr (AUS) X Joel Parkinson (AUS) X Miguel Pupo (BRA)
AS CHANCES DE CADA UM SER CAMPEÃO
Mick Fanning é campeão mundial se:
- vencer a etapa
- chegar em 2º e Toledo e Mineirinho não vencerem
- chegar até a semifinal, Toledo não passar das quartas e Mineirinho da semifinal
- chegar até as quartas, Toledo não passar da 5ª fase e Mineirinho das quartas
- chegar até a 5ª fase, Toledo não passar da 3ª fase, Mineirinho da 5ª fase, e Medina não vencer
- chegar até a 3ª fase, Toledo não passar da 2ª fase, Mineirinho da 3ª fase, Medina das quartas, e Owen não vencer a etapa
- parar na 2ª fase, Toledo não passar da 2ª fase, Mineirinho da 3ª fase, Medina das quartas, e Owen não vencer a etapa

Filipe Toledo é campeão mundial se:
- vencer a etapa
- chegar em 2º e Fanning e Mineirinho não vencerem
- chegar até a semifinal e Fanning e Mineirinho não passarem da semifinal (caso Mineirinho seja 2º haverá bateria de desempate)
- chegar até as quartas, Fanning não passar das quartas e Mineirinho da semifinal
- chegar até a 5ª fase, Fanning não passar da 5ª fase, Mineirinho das quartas, e Medina não vencer a etapa
- chegar até a 3ª fase, Fanning e Mineirinho não passarem da 3ª fase, Medina das semifinais e Owen e Julian não vencerem a etapa (se Julian vencer a etapa, haverá bateria desempate)

Adriano de Souza é campeão mundial se:

- vencer a etapa
​​- chegar em 2º, Toledo não passar das quartas e Fanning da semifinal (caso Toledo pare na semifinal, haverá bateria de desempate)
- chegar até a semifinal, Toledo não passar da 5ª fase e Fanning das quartas
- chegar até as quartas, Toledo não passar da 3ª fase, Fanning da 5ª fase e Medina não vencer a etapa
- chegar até a 5ª fase, Toledo e Fanning não passarem da 3ª fase e Medina e Owen não vencerem a etapa

Gabriel Medina é campeão mundial se:
- vencer a etapa, Toledo não passar da 5ª fase e Fanning e Mineirinho não passarem das quartas
- chegar em 2º, Toledo, Fanning e Mineirinho não passarem da 3ª fase e Owen não vencer a etapa
- chegar até a semifinal, Toledo não passar da 2ª fase, Fanning e Mineirinho não passarem da 3ª fase, e Owen e Julian não vencerem a etapa

Owen Wright é campeão mundial se:
- vencer a etapa, Toledo e Fanning não passarem da 3ª fase, e Mineirinho da 5ª fase

Julian Wilson é campeão mundial se:
- vencer a etapa, Toledo não passar da 2ª fase, Fanning e Mineirinho da 3ª fase, e Medina da semifinal (caso Toledo pare na 3ª fase haverá bateria de desempate)
OBS.: Em caso de empate em pontos de dois ou mais surfistas na classificação final do Mundial, haverá o "surf off". Trata-se de uma ou mais baterias extras, homem a homem, que decide um único vencedor. Fica a cargo da comissão de prova decidir o número de baterias.

0 comentários:

Postar um comentário